Arquivo do blog

Postagens populares

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

O NAMORO CRISTÃO




 Namorar todo jovem quer, mas como fica os princípios de Deus num namoro cristão? Como devem se comportar, agir e continuar um namoro dentro das bênçãos de Deus?
Princípios para um Namoro Cristão

1. O Conceito de Namoro

Podemos dizer que o costume ocidental do namoro não é totalmente bíblico, pois não encontramos onde este tipo de amizade chama-se namoro. Geralmente os pais escolhiam os companheiros para seus filhos e quando um jovem demonstrava interesse em uma moça, era já pensando em casamento. A Bíblia fala em noivado, que é o período antes do casamento. Este período é tão importante, que é feito uma comparação entre Cristo e a Igreja. Abraão, Isaque, Jacó, Moisés, Davi, Salomão e outros, provavelmente tenham namorado com suas esposas, porém pouco temos sobre este período de relacionamento. Isaque e Rebeca (Gn. 24.63, 67); Jacó e Raquel (Gn. 29.9, 20); Sansão (Jz. 14 - casamento misto); Boaz e Rute (Rt. 2.5); Davi e Mical (I Sm. 19.12 e 25.44); José e Maria (Mt. 1.18); Salomão e Sulamita (Ct. 1).
A palavra “namorar” na língua portuguesa significa: empenhar-se em inspirar amor a alguém; galantear, cortejar, requestar; inspirar amor a ou tornar-se amoroso; apaixonar(-se), seduzir ou deixar(-se) seduzir, atrair ou sentir(-se) atraído; terem duas pessoas relacionamento amoroso em que a aproximação física e psíquica, fundada numa atração recíproca, aspira à continuidade; enlevar-se, encantar-se.
A prática do namoro cristão cosntiutui-se em uma preparação. Um período extremamente importante na vida de dois jovens cristãos e de muitas responsabilidades. Representa um período de transição entre dois jovens ou adultos, um homem e uma mulher, crentes no Senhor Jesus Cristo, sendo que ambos devem ter um bom nível de maturidade. Ambos mantém um bom ritmo de comunicação, sendo através deste relacionamento orientados e preparados por Deus para um futuro casamento. Namoro cristão deve sempre visar o casamento. Um namoro que não tem como alvo um futuro casamento, sequer deve ser iniciado.
Embora o desejo seja que ambos se tornem íntimos em seu relacionamento, isso não quer dizer liberdade no aspecto físico e muito menos liberdade sexual entre o casal de namorados. A relação sexual está destinada a ser desfrutada apenas entre pessoas devidamente casadas (Hebreus 13.4; Gênesis 2.24; Cantares de Salomão 4.12; 1Tessalonicenses 4.3-5; Colossenses 3.5-6; 1Coríntios 6.15-20; 1Timóteo 5.22; 2Timóteo 2.22).
Este é um período de conhecimento mútuo, conhecimento da alma, do coração, nunca do físico um do outro. O aspecto físico está destinado para depois do casamento. Portanto, exige disciplina própria, vigilância constante. É um tempo onde se obtém oportunidade de duas personalidades diferentes se harmonizarem, conhecerem um ao outro. Comunhão espiritual é fator primordial. Lembre-se que quanto mais próximo cada um estiver de Deus, mais próximo estarão um do outro. Este período também serve para confirmar a perfeita vontade de Deus para a vida de ambos.


2. O Padrão de Deus para o namoro

O padrão de Deus para um namoro bem sucedido se apresenta em trës dimensões: espiritual, da alma e do corpo.

a) Espiritual – forte. Deus em primeiro lugar, nunca o namorado (a). O jovem cristão de vê consultar a Deus quando tiveres de escolher uma companheira(o) para a vida. Baseia a tua escolha em algo mais que a atração física. Escolhe uma companheira(o) na qual o teu interesse e o teu amor continuarão depois que as forças físicas começarem a desvanecer. Não procures, tão pouco, perfeição absoluta, porque tu mesmo não és perfeito. Certo ensinador disse: "Passamos a amar não quando encontramos uma pessoa pefeita, mas quando aprendemos a ver perfeitamente uma pessoa imperfeita." A escolha do companheiro para o resto da vida é demasiadamente importante. Por isso, o maior segredo é esperar em Deus. Esperar em Deus é uma atitude passiva, mas é algo muito ativo. Esperar em Deus exige que lutemos contra nossas próprias idéias, nossos arranjos, nossas saídas de emergência. Esperar em Deus demanda que lutemos contra a ansiedade, contra os temores, contra a falta de fé e contra o impulso de nossa carne de querer ajudar a Deus. Esperar em Deus leva-nos a voltar sempre os olhos para o Senhor,o invisível Soberano, e afastá-los de tudo que é visível, lógico e palpável – essas coisas querem provar que é inútil esperar Deus agir, por isso não devemos dar ouvidos às razões da carne. Esperar em Deus não é cruzar os braços e esperar que as coisas simplesmente aconteçam, mas é dobrar os joelhos, orar e esperar o momento de Deus cumprir Sua vontade. Esperar em Deus é mesmo chorando diante de Sua presença, dizer-lhe que ama Sua vontade, ainda que não a compreenda plenamente. Espera em Deus é desistir de qualquer ação ou pensamento, a não ser o de descansar em Seus braços, confiante em Seu amor e desígnios. "Somente em Deus, ó minha alma, espera silenciosa. Espera . . . no Senhor, desde agora e para Sempre." ( Salmos 62:1/ 131:3)"
b) Vontade, emoções e mente dentro do plano de Deus.
Salomão escreveu: "Há amigo mais chegado que um irmão" (Pv. 18.24). Já que não temos um ensinamento claro na Bíblia sobre namoro, devemos dar uma orientação cristã no assunto. O primeiro relacionamento entre dois jovens deveria ser uma amizade e não um namoro. Tanto a moça como o rapaz deve ter e fazer muitas amizades e dente essas amizades escolher quem quer namorar. A Palavra de Deus exorta os jovens para que sejam moderados (Tito 2:6) Dentro desse espírito de moderação, os jovens podem, sim, ter um namoro santo, realizado entre duas pessoas com propósito sincero de unirem-se diante de Deus em casamento.
Disse certo o poeta: "O maior gesto de amor não está nos braços que se enlaçam, nem nos lábios que se tocam, mas nos joelhos que se dobram, para uma oração lado a lado". As atitudes espirituais de um casal determinam o quanto se amam. A questão do namoro cristão gera ainda muitas dúvidas e conflitos na vida de muitos jovens. Na verdade, Deus quer que os jovens desfrutem de sua juventude porem de forma moderada (Ec. 11:9,10). A Bíblia é clara ao dizer para fugir dos desejos da mocidade (II Tim. 2:22). O namoro, sem que cada um cuide de si mesmo, é a ocasião propicia para o despertamento dos desejos da juventude. Mas o moço e a moca que ocupam-se em meditar e guardar a Palavra de Deus em seu coração, passam a ser jovens guiados pelo Espírito Santo, tementes a Deus, preservando-se para uma união saudável com o seu futuro cônjuge, enquanto os jovens descrentes logo cedo estragam suas vidas nas práticas carnais. Infelizmente, muitos cristãos não sabem esperar até o casamento. Logo que vem os "desejos da mocidade" cedem á tentação, envolvendo-se em um relacionamento impuro.

b) Corpo (físico) – sob controle. Quando nos conscientizamos que somos servos do Senhor, e que, a nossa vontade deve estar sujeita ao nosso dono e com a idéia que nosso corpo é Templo do Espírito de Deus; chegamos à conclusão: não temos qualquer autoridade de usá-lo de uma forma diferente da considerada santa. É preciso andarmos no equilíbrio, sem os exageros comuns aos filhos do mundo. O jovens cristãos devem por amor desejarem ter um diferencial que é resultado de nossa comunhão com o Senhor.

Fonte: Desconhecida